Seis arguidos após buscas no Estádio da Luz. Benfica e PGR já reagiram

Seis arguidos após buscas no Estádio da Luz. Benfica e PGR já reagiram

Os indivíduos são suspeitos por fraude fiscal e branqueamento de capitais.

seis arguidos constituídos após investigação nas instalações do Benfica, no Estádio da Luz. O Ministério Público e a Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária estiveram a realizar buscar esta terça-feira com o objetivo de “esclarecer se os montantes faturados por várias empresas ao Benfica tinham na sua base efetivas prestações de serviços ou se foram apenas uma forma de justificar a saída de alguns milhões de euros das contas dos encarnados”, contaram ao Jornal de Notícias.

A identidade dos arguidos ainda não é conhecida

O clube da Luz recusou-se a comentar a situação, dizendo apenas que “é um processo que resulta de uma denúncia anónima e que envolve terceiros”. O diário desportivo Record diz, sob fonte do Benfica, que o processo envolve “duas empresas” e não o emblema. Aguarda-se comunicado oficial.

11h59: A Procuradoria Geral da República também emitiu um comunicado para explicar todos os ocorridos nas investigações de ontem.

 

“No abrigo do disposto no art. 86.º, n.º 13, al. b) do Código de Processo Penal, a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa torna público o seguinte:

No âmbito de um inquérito, em que se investigam os crimes de branqueamento e fraude fiscal, foram emitidos 3 mandados de busca domiciliária e 5 não domiciliárias, de entre estes, dois às sociedades Sport Lisboa e Benfica SAD e Benfica Estádio Construção Gestão Estádios, SA.

Indicia-se suficientemente nos autos que estas sociedades, a coberto de uma suposta prestação de serviços de consultoria informática, realizaram várias transferências bancárias para uma conta titulada por uma outra sociedade, num valor total de 1.896.660,00€, montantes esses que acabavam depois por ser levantados em numerário.

Esta última sociedade terá sido utilizada com o único propósito de retirar dinheiro das contas do Benfica. As buscas decorreram no dia de ontem, contando com 25 Inspectores da PJ.

Foram constituídas arguidas 3 pessoas singulares e 3 pessoas colectivas.

O processo encontra-se em segredo de justiça.
A investigação encontra-se a cargo da 8.ª secção do DIAP de Lisboa/sede com a coadjuvação da PJ – UNCC”.

11h50: O Benfica já reagiu à investigação que decorreu nas suas instalações. O clube da Luz diz estar a colaborar com as autoridades, confirmando as investigações, mas afirma que as suspeitas são falsas. É dito ainda que o Benfica vai avançar com queixa-crime no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP). Há seis arguidos após 25 inspetores da PJ terem estado no Estádio da Luz.

Leia o comunicado:

1. O Sport Lisboa e Benfica repudia com toda a veemência a notícia de hoje do Jornal de Notícias que afirma que o SLB foi investigado “por suspeita de fraude fiscal e branqueamento”. Tal informação é falsa e carece de qualquer fundamento.

2. O Sport Lisboa e Benfica confirma que, no âmbito de uma investigação que envolve empresas terceiras, foi solicitada e recolhida informação junto dos serviços do Clube pelo facto de serem entidades que nos prestam serviços.

3. O Sport Lisboa e Benfica não pode deixar de realçar que mais uma vez funcionou uma ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA, mais uma vez fomos levianamente difamados e mais uma vez assistimos a uma violação grosseira do segredo de justiça, desvirtuando factos e procurando centrar no SLB a investigação.

4.Tais factos não poderão deixar de ficar sem a devida perseguição criminal.

5. Por tais razões avançaremos com uma queixa-crime no DCIAP e requereremos que todos os Agentes da Polícia Judiciária e todos os Magistrados que intervieram nestas diligências colaborem connosco na descoberta da identidade destes criminosos por tendência.

Lisboa, 6 de junho de 2018

LEIA MAIS: Jogadores de Benfica e Porto em festa com 30 mulheres a dias do Mundial 2018


RELACIONADOS