Carta de rescisão de Rui Patrício diz que Jorge Jesus foi despedido

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, despediu o Jorge Jesus do comando técnico do Sporting, mas continuou em funções por não ter nota de culpa.

Na carta do pedido de rescisão de Rui Patrício ao Sporting, o qual a Impala teve acesso, o guarda-redes conta que o treinador Jorge Jesus foi despedido a 14 de maio, um dia antes das agressões na Academia de Alcochete. Foi nesta data onde também o conselho diretivo dos leões reuniu-se com o plantel e a equipa técnica em separado no estádio José Alvalade.

Leia-se na carta escrita de Rui Patrício: “Antes da reunião com o jogadores, o presidente (…) reuniu com a equipa técnica e informou-os que o Sporting não contaria mais com ele”.

LEIA MAIS: O que Rui Patrício justifica para rescindir com o Sporting? Leia a carta

Apesar do adiantado despedimento, a direção do Sporting  “entendeu que a melhor maneira de dar estabilidade ao grupo de trabalho para poder disputar esse jogo (final da Taça de Portugal), de enorme importância para o Sporting Clube de Portugal, até porque a vitória nesse troféu seria a única maneira de garantir o acesso direto à fase de grupos da Liga Europa, foi despedir a equipa técnica!”, aponta Rui Patrício na carta.

Recorde-se que Bruno de Carvalho tem dito nas suas últimas aparições públicas que Jorge Jesus tem mais um ano de contrato e é o atual treinador do Sporting.

E AINDA: «Tira essa camisola, vamos f*der-te!», os relatos dos jogadores na invasão à Academia Sporting


RELACIONADOS

Carta de rescisão de Rui Patrício diz que Jorge Jesus foi despedido

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, despediu o Jorge Jesus do comando técnico do Sporting, mas continuou em funções por não ter nota de culpa.