Por que devemos comer hidratos de carbono antes de treinos de musculação e proteína depois?

Na prática de exercício físico, a correta ingestão de proteína, hidratos de carbono e gordura insaturada é essencial para a obtenção de resultados, como no caso da musculação.

Hidratos de carbono antes

Os hidratos de carbono são o suporte energético mais importante para otimizar o rendimento desportivo. A gordura não é fonte energética preferencial pois os hidratos de carbono são capazes de produzir uma fonte de energia, o ATP, essencial para a contração do músculo, 3 vezes mais rápido do que as gorduras.

O tipo de atividade física, a duração e a intensidade dos estímulos vão condicionar a utilização de hidratos de carbono, pelo que exercícios de maior intensidade exigem um maior fornecimento deste nutriente.

No entanto, não nos podemos esquecer de dois aspetos importantes: o tipo de hidratos de carbono e o momento de ingestão.

A refeição pré treino deverá, idealmente, ser realizada 60-90 minutos antes do treino e deverá ter na sua composição alimentos que forneçam hidratos de carbono de baixo índice glicémico (ou seja, hidratos de carbono que têm uma baixa velocidade na sua digestão e absorção e, por isso, fazem aumentar os níveis de açúcar no sangue de forma gradual). Estes hidratos de carbono, após a sua digestão, vão fornecer glicose (açúcar simples) para o trabalho muscular e, consequentemente, o referido ATP para a contracção muscular.

Quando, por algum motivo, é necessária a realização de uma refeição mais próxima da hora do treino, esta deve ser realizada 5-10 minutos antes, para que a insulina (hormona que auxilia no transporte da glicose para o músculo) atue e aumente os níveis de açúcar ao nível do músculo, potenciando o rendimento físico.

Proteína depois

Os efeitos positivos das dietas hiperproteicas têm sido relacionados com a capacidade para otimizar os processos de recuperação e síntese proteica após o esforço, bem como manter a massa muscular.

Durante o exercício de força, o músculo é submetido a stress pelas sobrecargas tensionais, provocando microlesões musculares nos músculos estimulados.

Assim, após o treino, temos como objetivo a recuperação destas microlesões e o restabelecimento energético.

Para a recuperação das microlesões é crucial a ingestão de proteína de alto valor biológico (proteína que tem os aminoácidos essenciais – aqueles que são indispensáveis para o organismo e têm de vir da dieta – na quantidade necessária.

Exemplos de alimentos fornecedores de proteína de alto valor biológico: temos a carne, peixe, ovo, queijo fresco, leite (whey), iogurte, cânhamo e soja. Os aminoácidos vão funcionar como “tijolos” na reparação do tecido danificado.

Marta Mourão, nutricionista no Holmes Place

Marta Mourão, nutricionista no Holmes Place


ÚLTIMOS ARTIGOS

Por que devemos comer hidratos de carbono antes de treinos de musculação e proteína depois?

Na prática de exercício físico, a correta ingestão de proteína, hidratos de carbono e gordura insaturada é essencial para a obtenção de resultados, como no caso da musculação.