Jogadores de Benfica e Porto em festa com 30 mulheres a dias do Mundial 2018

Mundial 2018 por Nuno Farinha: Sai uma prostituta, se faz favor

Seleção mexicana fez uma ‘despedida animada’ e marcada por vários excessos, que fazem agora as delícias da imprensa local.

Está consumado o primeiro escândalo deste Mundial 2018 e a festa ainda nem sequer começou. Antes da partida para a Europa e do ‘mergulho’ na grande competição, um grupo alargado de jogadores da seleção mexicana organizou uma farra das antigas precisamente na Cidade do México. Foi uma ‘despedida animada’ e marcada por vários excessos que fazem agora as delícias da imprensa local.

A seleção mexicana disputou no último domingo um jogo particular frente à Escócia e, após esse desafio, o selecionador (Juan Carlos Osorio) concedeu um dia de folga. Ou seja, os jogadores tinham a noite livre e ainda a manhã e a tarde seguintes para fazerem o que bem entendessem. Pressupõe-se que, a poucos dias do início de uma competição tão importante e já em representação nacional, um jogador está obrigado a uma conduta responsável mesmo tendo 24 horas… de ‘liberdade’, longe dos estágios e das regras impostas.

Hector Herrera e Jesús Corona, do FC Porto, e Raul Jiménez, do Benfica, foram alguns dos que participaram na ‘despedida animada’ antes do Mundial 2018

Não foi isso que os craques mexicanos fizeram: música pela noite dentro, muito álcool e… 30 acompanhantes de luxo num local reservado para o efeito. Uma estação mexicana, a ‘TV Notas’, relata que a festa começou após o jantar e se prolongou até às 16 horas (!) do dia seguinte! E quem foram os jogadores a transgredir? Eram nove. Alguns nomes não nos dizem muito, como Marco Fabián ou Jesús Gallardo, mas há outros que conhecemos bem: Hector Herrera e Jesús Corona, do FC Porto, e Raul Jiménez, do Benfica.

Um jogador está em estágio durante, imagine-se, oito dias seguidos. Sujeito à disciplina dos horários, do controlo das calorias, da balança, do descanso obrigatório e do silêncio a partir das 23 horas. Têm nutricionistas a cuidar deles, massagistas a ajudar na recuperação após cada treino, roupeiros que lhes engraxam as botas, médicos disponíveis em permanência e, no tempo que lhes resta, vêem as séries da moda e atualizam as redes sociais.

Quando finalmente chega a folga, qual a primeira coisa que fazem? Vão visitar os pais? Vão a casa ver a mulher e dar um beijinho ao filho ou à irmã ou até ao sobrinho? Vão ao cinema? Vão jantar fora com as namoradas? Não! Nada disso. Saem do local do estágio, alugam uma casa e chamam 30 prostitutas. Desta vez foram os mexicanos, mas já calhou serem outros a fazer a “festa”. Há coisas que nunca mudam.

Nuno Farinha, jornalista
#convocado para o #Mundial2018

LEIA MAIS: «Vai jogar o Brasil, pára tudo!»

LEIA MAIS: «O último Mundial de Ronaldo?»

LEIA MAIS: «No bom caminho»


ÚLTIMOS ARTIGOS

Mundial 2018 por Nuno Farinha: Sai uma prostituta, se faz favor

Seleção mexicana fez uma ‘despedida animada’ e marcada por vários excessos, que fazem agora as delícias da imprensa local.