Nuno Farinha convocado para o Mundial 2018: «A crise que a Seleção dispensava»

É um exercício delicado tentar prever o impacto que estes ‘loucos dias de Alvalade” acabarão por ter na Seleção Nacional. Mas é evidente que terão algum. Muito? Pouco? Ninguém sabe.

É um exercício delicado tentar prever o impacto que estes ‘loucos dias de Alvalade” acabarão por ter na Seleção Nacional. Mas é evidente que terão algum. Muito? Pouco? Ninguém sabe.

Mesmo não sendo tarefa fácil, é possível fazer-se a antecipação de alguns cenários. Assim que, no domingo, terminar a final da Taça de Portugal, no Jamor, há quatro jogadores que fazem imediamente a mala, alteram o chip e entram em ‘modo Mundial’: Rui Patrício, William Carvalho, Bruno Fernandes e Gelson Martins.

Qualquer destes quatro internacionais portugueses desejou seguramente um final de temporada muito mais calmo do que aquele que estão a viver. O sonho virou pesadelo e o futuro dos craques (ainda) às ordens de Jorge Jesus é, por agora, uma incerteza.

Um dos muitos cenários que está em cima da mesa é o de alguns jogadores poderem avançar com pedidos de rescisão a partir de segunda-feira. Imaginemos, pois, que é isso mesmo que vão fazer Rui Patrício, William Carvalho, Bruno Fernandes e Gelson Martins.

«A queda de Bruno de Carvalho é inevitável. A bem da Seleção Nacional, que seja, pois, o mais rapidamente possível»

E começam as perguntas. Em que condições, nesse caso, iriam chegar ao estágio da Seleção Nacional? Escolheriam o seu próximo clube em quanto tempo? Disputariam o Campeonato do Mundo da Rússia já como jogadores de outro clube ou seriam profissionais disponíveis, sem qualquer vínculo a uma entidade empregadora, durante a competição? Ficariam a jogar em Portugal, num clube rival, ou iriam para o estrangeiro? E a escolha de um rival, no contexto que o futebol português atravessa, que ondas de choque acabaria por provocar?

Logo se verá se algum pedido de rescisão por justa causa acabará por acontecer. A única certeza que por agora existe é esta: Fernando Santos está a rezar a todos os santinhos – literalmente – para que Bruno de Carvalho saia de cena o mais rapidamente possível. É a única solução para o regresso à paz. A queda de Bruno de Carvalho é inevitável. A bem da Seleção Nacional, que seja, pois, o mais rapidamente possível. Ontem, se ainda der.

Nuno_Farinha

Nuno Farinha, jornalista
#convocado para o #Mundial2018

LEIA MAIS: «Faltam campeões»


ÚLTIMOS ARTIGOS

Nuno Farinha convocado para o Mundial 2018: «A crise que a Seleção dispensava»

É um exercício delicado tentar prever o impacto que estes ‘loucos dias de Alvalade” acabarão por ter na Seleção Nacional. Mas é evidente que terão algum. Muito? Pouco? Ninguém sabe.