CMTV perde dois dos seus principais rostos num espaço de um mês

Canal do Correio da Manhã tem visto alguns dos seus profissionais «migrarem» para a concorrência.

O mercado televisivo pauta-se por alguma «troca» dos seus profissionais entre estações, quer no entretenimento, quer na informação, e a CMTV não é exceção.

No último mês, o canal do Correio da Manhã viu dos seus mais antigos jornalistas, que faziam parte da equipa inaugural, cessar contrato com a empresa Cofina Media.

Trata-se de Cláudio Carvalho e de Bruno de Castro Ferreira.

O primeiro era presença habitual na apresentação dos principais blocos noticiosos da estação, tendo, por diversas vezes, substituído Andreia Vale no «CM Jornal do Meio Dia» e José Carlos Castro no «CM Jornal das Oito». O seu futuro profissional, apurou o site da Nova Gente, passará agora por um projeto fora do espetáculo mediático informativo.

Já o segundo trocou a CMTV pela SIC. Bruno de Castro Ferreira, até então subeditor de política do CM, será mais um reforço de Carnaxide enquanto repórter. O jornalista ganhou fama dentro do universo de espetadores da estação de Octávio Ribeiro, quando, no ano passado, fez reportagem em direto a peregrinação de Lisboa até ao Santuário de Fátima.

Nas plataformas sociais, alguns dos colegas fizeram questão de se despedir deste colega, deixando-lhe mensagens em forma de homenagem. «O bebé Bruno vai abandonar-nos» ou «Até já pequeno pónei» são algumas partes dos textos dedicados ao jornalista.

Dos mais ou menos conhecidos, desde que começou a emitir, a CMTV tem deixado escapar alguns dos seus principais rostos. O mais mediático foi mesmo Nuno Graciano, envolvido numa enorme polémica, mas não foi o único. A apresentadora Ana Lúcia Matos, assim como os pivôs Marcos Pinto, Miguel Fernandes e Carolina Matos Resendes e o repórter André Carvalho foram para a TVI. Já a SIC, para além de Bruno, já conseguiu tirar à Correio da Manhã TV a pivô Sara Tainha e a jornalista Teresa Camarão. A RTP conta na sua redação com duas profissionais vindas de Benfica, Mariana Flor e Joana Machado.


RELACIONADOS