Anthony Bourdain cometeu suicídio por enforcamento

A imprensa internacional avança que foi suicídio. Anthony Bourdain tinha 61 anos

O conceituado chef Anthony Bourdain foi encontrado morto aos 61 anos, esta sexta-feira, dia 8.   O procurador de Colmar, Christian de Rocquigny du Fayel, já veio informar que o chef se suicidou por enforcamento, no hotel Le Chambard, na região da Alsácia, «sem que existam indicações no momento para considerar a intervenção de um terceiro».

«O seu amor por grandes aventuras, novos amigos, boa comida e bebida e histórias incríveis pelo mundo fez dele um contador de histórias único. Os seus talentos nunca deixaram de nos surpreender e vamos sentir muito a sua falta», pode ler-se..

Bourdain foi encontrado sem vida pelo chef e amigo Eric Ripert. O apresentador deixa uma filha, Ariane, de nove anos, fruto da relação com Ottavia Busia. Anthony Bourdain mantinha uma relação há um ano com a atriz italiana Asia Argento.

A ligação íntima com Portugal

Bourdain, 61 anos, que foi catapultado para a fama com o livro «Cozinha Confidencial», em 2000, tornou-se uma estrela de televisão dois anos depois, com o programa «A Cook’s Tour».

E a ligação do norte-americano com Portugal começou exatamente nessa altura. O episódio de estreia do seu primeiro programa foi gravado no Douro, região onde viu pela primeira vez um animal ser morto.

O chef norte-americano voltaria a Portugal mais três vezes: em 2009, gravou um episódio do programa «No Reservations» nos Açores e, no final de 2011, em plena crise económica regressa ao nosso país para mostrar Lisboa ao mundo. A última visita do norte-americano aconteceu em fevereiro de 2017. Anthony Bourdain visitou o norte do país e deu a conhecer o melhor da Cidade Invicta.

LEIA MAIS: Anthony Bourdain em Celorico de Basto para matança do porco

Uma vida de excessos

Filho de pai francês e mãe norte-americana, Anthony Bourdain nasceu e cresceu em Nova Iorque. Durante a adolescência e início da idade adulta, viveu uma vida de excessos, tendo falado publicamente várias vezes sobre o consumo excessivo de álcool e drogas. «Deixei a heroína na década de 80… nem toda a gente consegiu», disse, numa entrevista ao site biography.com.

Bourdain sempre soube que vivia no limite e tinha consciência de que tinha desafiado, por várias vezes, a própria vida.

«Devia ter morrido aos 20 anos. Tornei-me bem sucedido aos 40. Fui pai aos 50. Sinto que roubei um carro – um belo carro – e continuo a olhar pelo retrovisor à espera de ver luzes brilhantes».

Fotos: Arquivo Impala e Reuters


RELACIONADOS