Ministros da Agricultura da UE prudentes sobre reforma da PAC

Ministros da Agricultura da UE prudentes sobre reforma da PAC

Os ministros da Agricultura da União Europeia, reunidos hoje em Sófia, mostraram-se muito prudentes sobre as propostas de reforma da Política Agrícola Comum.

Sófia, 05 jun (Lusa) – Os ministros da Agricultura da União Europeia (UE), reunidos hoje em Sófia numa reunião informal, mostraram-se muito prudentes sobre as propostas de reforma da Política Agrícola Comum (PAC) divulgadas recentemente pela Comissão Europeia.


O lançamento da reforma da PAC coincide com o debate de um novo quadro plurianual financeiro (2021-2027), igualmente em fase de negociação com os Estados membros.


“A falta de consenso foi principalmente sobre as questões do dinheiro”, admitiu o comissário europeu da Agricultura, Phil Hogan, após a reunião.


Segundo Phil Hogan, a Comissão quer obter um acordo sobre o quadro financeiro plurianual global “antes de março de 2019”, data prevista para a saída do Reino Unido da UE.


O corte apresentado para a PAC, na ordem dos 15% para todos os Estados-membros nas políticas de Desenvolvimento Rural (segundo pilar da PAC), foi uma vez mais contestado.


O ministro da Agricultura português, Luís Capoulas Santos, manifestou preocupação com a contribuição nacional necessária para compensar as perdas, segundo a AFP.


“Isso vai representar um esforço para o orçamento nacional duas vezes maior do que o atual”, afirmou em declarações aos jornalistas.


“Estamos um pouco céticos em relação ao orçamento, porque para uma reforma mais ambiciosa é necessário mais dinheiro”, resumiu a eslovena Tanja Strnisa.


O ministro irlandês, Michael Creed, também se afirmou “muito preocupado” e disse que “não é razoável pedir aos agricultores para continuarem a fazer cada vez mais com cada vez menos dinheiro”.



EO // ATR

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Ministros da Agricultura da UE prudentes sobre reforma da PAC

Os ministros da Agricultura da União Europeia, reunidos hoje em Sófia, mostraram-se muito prudentes sobre as propostas de reforma da Política Agrícola Comum.