Costa diz que motivação para limpeza de terrenos não deve ser medo de pagar multa

Costa diz que motivação para limpeza de terrenos não deve ser medo de pagar multa

O primeiro-ministro apelou à continuação dos trabalhos de limpeza dos terrenos, cujo prazo sem coimas terminou na quinta-feira.

“O nosso objetivo não é andar a cobrar multas, o nosso objetivo é termos um território seguro e aquilo que deve motivar as pessoas não é o medo de pagarem a multa, é a necessidade que devem sentir de contribuir para a sua própria segurança” e de outros, sublinhou António Costa.

O líder do Governo discursava durante uma visita ao Centro de Meios Aéreos de Monchique, onde visitou uma exposição de viaturas e equipamentos da Proteção Civil do distrito de Faro, tendo antes assistido também a uma ação de limpeza de uma faixa combustível, numa zona florestal, em Monchique.

Enquanto assistia aos trabalhos das equipas de sapadores, António Costa disse aos jornalistas que o esforço deve prosseguir para além de 31 de maio e que é essencial manter uma cultura de que a limpeza de terrenos deve ser uma rotina, tal “como ir regularmente ao médico, fazer a revisão ao automóvel ou por ar nos pneus”.

O prazo para que não sejam aplicadas coimas por falta de limpeza de terrenos terminou na quinta-feira, podendo a GNR dar seguimento, a partir de hoje, aos autos de contraordenação levantados, multando os infratores.

António Costa advertiu ainda para a necessidade de se ter “muito cuidado” com aquilo que se faz na floresta, em particular nos dias de muito calor, evitando comportamentos de risco, como fazer fogueiras, queimadas, churrascos ou atirar beatas para o chão.

O primeiro-ministro reiterou, assim, o apelo para que se prossiga com os trabalhos de limpeza, salvo nos dias em que a Proteção Civil emita um alerta a proibir qualquer trabalho.

“Não há um prazo, é uma atividade que tem que ser continuada, se não se foi feita ontem, deve ser feita hoje, se não foi feita hoje, deve ser feita amanhã nós temos que continuar a fazer este esforço”, sublinhou.

António Costa disse ainda que, dentro de 15 dias, a Infraestruturas de Portugal vai começar a fazer faixas de proteção lateral à estrada nacional 266, que liga o Alentejo ao Algarve.

O primeiro-ministro visitou também o Posto de Vigia da Madrinha, na serra de Monchique, no Alto da Fóia, o ponto mais alto do Algarve.

Antes, durante a manhã, tinha estado em Loulé e Faro, em duas visitas que serviram igualmente para assinalar o Dia da Criança.

 


RELACIONADOS

Costa diz que motivação para limpeza de terrenos não deve ser medo de pagar multa

O primeiro-ministro apelou à continuação dos trabalhos de limpeza dos terrenos, cujo prazo sem coimas terminou na quinta-feira.