Costa rejeita qualquer incompatibilidade ou violação do Código de Conduta pelo ministro Adjunto

Costa rejeita qualquer incompatibilidade ou violação do Código de Conduta pelo ministro Adjunto

O PSD questionou conduta do ministro Adjunto, Siza Vieira, mas o primeiro-ministro defendeu-o e rejeitou qualquer incompatibilidade pessoal ou violação do Código de Conduta do Governo.

Lisboa, 23 mai (Lusa) — O PSD questionou hoje a conduta do ministro Adjunto, Siza Vieira, mas o primeiro-ministro defendeu-o e rejeitou qualquer incompatibilidade pessoal ou violação do Código de Conduta do Governo.


No debate quinzenal, o líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, centrou grande parte da sua intervenção em dois casos que envolveram o ministro Adjunto: o seu pedido de escusa de matérias relativas ao setor elétrico, depois da Oferta Pública de Aquisição (OPA) lançada pela China Three Gorges (CTG) à EDP, e o facto de ter criado uma empresa familiar na véspera de ser empossado, tendo dito hoje desconhecer que tal era incompatível.


Sobre a empresa familiar, Costa rejeitou que haja atualmente qualquer incompatibilidade — “mal foi detetada, foi corrigida” e o ministro deixou de ser sócio — e classificou o caso como “um lapso”, admitindo que ele próprio já os teve em atrasos de entregas de declarações ao Tribunal Constitucional.


Já sobre a conduta de Siza Vieira no âmbito da OPA lançada pela CTG à EDP, Costa respondeu de forma direta a Negrão: “Sim, respeitou o Código de Conduta e não houve qualquer conflito de interesses”.



SMA // JPS

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Costa rejeita qualquer incompatibilidade ou violação do Código de Conduta pelo ministro Adjunto

O PSD questionou conduta do ministro Adjunto, Siza Vieira, mas o primeiro-ministro defendeu-o e rejeitou qualquer incompatibilidade pessoal ou violação do Código de Conduta do Governo.