França: Operação obriga atraso no julgamento do líder da extrema direita

França: Operação obriga atraso no julgamento do líder da extrema direita

Ex-presidente do partido francês de extrema-direita Frente Nacional foi hospitalizado na terça-feira, perto de Paris, devido a “fadiga geral”, o que levou ao adiamento do seu julgamento, indicou um conselheiro.

O antigo dirigente político, que vai completar 90 anos no dia 20 de junho, devia ser julgado esta segunda-feira em Paris acusado de incitação ao ódio e injúria pública, por declarações sobre homossexuais, visando nomeadamente um polícia morto num atentado na Avenida dos Campos Elíseos, em Paris, no ano passado.

O tribunal aceitou um pedido apresentado pelo advogado de Le Pen e o julgamento foi adiado para o dia 03 de outubro.

Jean-Marie Le Pen não quer “fugir ao trabalho da justiça”, quer, pelo contrário, comparecer perante os juízes para poder “dissipar um mal-entendido sobre o sentido das suas palavras”, constituindo uma “opinião”, afirmou o conselheiro citado pela agência France Presse.

O advogado entregou um certificado de hospitalização “de urgência e por tempo indeterminado”.

O cofundador da Frente Nacional, que presidiu ao partido durante quase 40 anos, já tinha sido hospitalizado com uma gripe no início de abril, tendo permanecido internado durante uma semana.

LEIA MAIS: França responde a Trump que cooperação internacional não pode depender de raiva

França proíbe o uso de telemóveis nas escolas

 


RELACIONADOS

França: Operação obriga atraso no julgamento do líder da extrema direita

Ex-presidente do partido francês de extrema-direita Frente Nacional foi hospitalizado na terça-feira, perto de Paris, devido a “fadiga geral”, o que levou ao adiamento do seu julgamento, indicou um conselheiro.